Promover o pedido de ajuda

Se está a preparar uma iniciativa de prevenção do suicídio dirigida à comunidade, saiba que um dos objetivos centrais é fornecer às pessoas informação sobre os serviços disponíveis e como conseguir ajuda.

Se está a preparar uma iniciativa de prevenção do suicídio dirigida à comunidade, saiba que um dos objetivos centrais é fornecer às pessoas informação sobre os serviços disponíveis e como conseguir ajuda. Quando alguém tem pensamentos de suicídio, procurar ajuda pode não ser fácil. Estas pessoas podem debater-se com várias barreiras.

Barreiras ao pedido de ajuda

  • o estigma e o tabu em torno do suicídio;
  • a dificuldade em pedir ajuda por parte de quem precisa;
  • a falta de conhecimento sobre suicídio entre profissionais de saúde;
  • o facto de ser um fenómeno raro por si só.

O facto é que muitas pessoas são afetadas por problemas de saúde mental. As doenças mentais não são um sinal de fraqueza ou um defeito de caráter. Todos podemos precisar de ajuda em algum momento das nossas vidas e, por vezes, a ajuda profissional (do médico de família, de um psicólogo ou de um psiquiatra, por exemplo) são essenciais para ultrapassar as dificuldades.

Existem várias formas de encontrar ajuda. Há profissionais de saúde que estão especialmente treinados para avaliar o risco de suicídio e providenciar o tratamento necessário para os pensamentos e comportamentos suicidas.

É importante transmitir uma mensagem de esperança. As pessoas com doenças mentais podem conseguir ultrapassar os momentos de crise e muitas recuperam totalmente da sua doença.

O que pode fazer?

Se está a delinear uma estratégia de prevenção de suicídio, pondere:

  • Incluir pessoas com experiência em prevenção do suicídio na equipa.
  • Identificar as entidades locais e nacionais onde é possível obter ajuda, tais como a Linha de Aconselhamento Psicológico do SNS24, outras linhas de apoio, os Serviços Locais de Saúde Mental e os centros de saúde. Identifique também sítios onde pode encontrar informação sobre prevenção do suicídio, como o website prevenirsuicidio.pt.
  • Educar a comunidade sobre os sinais de alarme para suicídio e desconstruir mitos e preconceitos sobre o tema.
  • Combater estereótipos e a discriminação através da partilha de histórias verídicas de pessoas que procuraram ajuda e ultrapassaram os momentos de crise.
  • Envolver os participantes das suas iniciativas de capacitação de porteiros sociais na identificação das barreiras de acesso a serviços e no planeamento do pedido de ajuda em momentos de crise.
  • Identificar e reduzir as barreiras ao pedido de ajuda. Se a sua entidade presta serviços de saúde, procure soluções para tornar os serviços mais acessíveis, convenientes e adaptados às necessidades da população-alvo.

Ao desenvolver iniciativas que promovem o pedido de ajuda, deve garantir que existe capacidade de resposta dos serviços existentes. Desenvolva este trabalho em articulação com os serviços de proximidade aos quais é provável as pessoas recorrerem (por exemplo, com os Serviços Locais de Saúde Mental e os centros de saúde).