Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio

Todos temos uma palavra a dizer.
Reconheça os sinais de alarme. Peça ajuda.

A Campanha

O suicídio, na forma conseguida ou tentada é um problema de saúde pública que representa um grande desafio em todo o mundo. Em Portugal, cerca de três pessoas morrem por suicídio a cada dia, e muitas mais tentam fazê-lo. Este fenómeno não escolhe classes, género, idade ou região geográfica.

A Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio pretende mudar atitudes em relação ao suicídio e à doença mental, aumentar a literacia em saúde mental e lutar contra o estigma e incentivar ao pedido de ajuda às pessoas em risco para reduzir o número de suicídios em Portugal.

Pedir ajuda é o primeiro passo para conseguir ultrapassar este momento difícil.

Os pensamentos de suicídio podem afetar qualquer pessoa, de qualquer idade ou género e em qualquer momento. Se tem ideias de suicídio é provável que exista uma sensação de desesperança e inutilidade há algum tempo. Pode não saber o que provocou estas ideias. Habitualmente é uma combinação de fatores e pode não haver uma causa evidente.

É natural que sinta que não há nada a fazer. Não é verdade. Tem a quem pedir ajuda.

Não está sozinho/a. Outras pessoas também passaram por este processo de recuperação com sucesso.

Neste momento, compreender o que está a pensar e sentir pode parecer muito difícil e isso é normal. Se recorreu a um profissional de saúde, pode já ter recebido indicação para iniciar um tratamento. Se ainda não o fez, considere pedir ajuda.

»» Saiba onde encontrar ajuda ((LINK))

Depois de uma tentativa de suicídio, muitas pessoas acabam por olhar para os problemas de uma forma diferente e apercebem-se de que há ajuda disponível para ultrapassar as dificuldades que ainda existem.

Algumas vezes as pessoas à sua volta não sabem como reagir a esta situação por se sentirem assustadas, confusas, zangadas e podem dizer-lhe coisas que não ajudam na sua recuperação. Também podem simplesmente evitar falar sobre o assunto consigo. A sua família, amigos ou colegas de trabalho precisam de tempo para processar o que aconteceu e têm de encontrar as suas próprias formas de lidar com este assunto.

Se lhe perguntarem sobre a sua tentativa, diga o que se sente capaz de partilhar ou explique que precisa de mais tempo. Aceite a ajuda da família e dos amigos nas tarefas do dia-a-dia, se necessário.

Se está preocupado que alguém possa ter pensamentos de suicídio, esteja atento a mudanças no comportamento.

Mesmo quando não há um pedido de ajuda explícito, as pessoas que têm pensamentos de suicídio podem fazer ou dizer coisas que revelam o seu sofrimento psicológico. Estas pessoas estão em crise e é possível ajudar.

Uma pessoa pode estar em risco de suicídio quando:

  • Fala sobre querer morrer ou querer matar-se
  • Não vê solução para os problemas
  • Fala sobre sentir-se encurralada
  • Diz que se sente um fardo para os outros ou que se sente culpada
  • Apresenta variações de humor extremas
  • Tem dificuldades de concentração
  • Diz que não tem esperança no futuro
  • Age de forma ansiosa, agitada ou imprudente, sem pensar nas consequências das suas ações.
  • Irrita-se com frequência
  • Consome mais álcool ou drogas
  • Anda mais isolada ultimamente
  • Dorme muito ou muito pouco
  • Tem constantes alterações do apetite
  • Perdeu o interesse pelas atividades habituais (trabalho, escola, atividades sociais, desporto, …)
  • Perdeu o interesse pela própria aparência
  • Sofreu uma perda marcante (morte de um ente querido, desemprego recente, perda económica ou de estatuto social)
  • Procura ou já procurou formas de se matar
  • Doou recentemente bens pessoais significativos
  • Organiza a vida e prepara o momento da morte (guardou dinheiro para o funeral ou escreveu o testamento)

Peça ajuda.

Rede de Parceiros

Trabalhamos em conjunto para prevenir o suicídio, lutar contra o estigma e aumentar a literacia em saúde mental.

Mais informações e formulário de adesão disponíveis brevemente.

Recursos

Quer juntar-se à Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio? Saiba qual pode ser o seu papel. Consulte os recursos elaborados a pensar na comunidade, nos profissionais de saúde e nos jornalistas.

Reproduzir vídeo
Reproduzir vídeo

Contactos e serviços disponíveis

SE ALGUÉM ESTÁ EM PERIGO, LIGUE IMEDIATAMENTE 112.

Se tem sintomas de depressão ou tem pensamentos de suicídio, utilize a Linha SNS24 através do número 808 24 24 24.

Linhas de apoio

SOS VOZ AMIGA
Horário: 16:00 – 24:00
Contacto Telefónico: 213 544 545 | 912 802 669 | 963 524 660
Linha Verde gratuita: 800 209 899 (21:00 – 24:00)

CONVERSA AMIGA

Horário: 15:00 – 22:00
Contacto Telefónico: 808 237 327 | 210 027 159

VOZES AMIGAS DE ESPERANÇA DE PORTUGAL

Horário: 16:00 – 22:00
Contacto Telefónico: 222 030 707

TELEFONE DA AMIZADE  

Horário: 16:00 – 23:00
Contacto Telefónico: 222 080 707

VOZ DE APOIO

Horário: 21:00 – 24:00
Contacto Telefónico: 225 506 070
Email: sos@vozdeapoio.pt

*O atendimento é da responsabilidade de cada uma das linhas.