Estigma e Suicídio

Em algumas culturas, o suicídio é visto como vergonhoso, um pecado, sinal de fraqueza, um ato egoísta, uma forma de manipulação ou, pelo contrário, como um ato de honra.

Estes estereótipos e preconceitos negativos:

  • Promovem o silêncio
  • Dificultam o pedido de ajuda por parte de quem precisa. 
  • Desvalorizam o sofrimento ou a seriedade da pessoa com pensamentos de suicídio
  • Tornam mais difícil reconhecer que alguém está em risco
  • Fazem com que as pessoas tenham menor predisposição para ajudar alguém
  • Dificultam o luto dos sobreviventes
  • Contribuem para uma menor sensibilidade dos governantes para este problema, resultando na subavaliação da sua dimensão real e no desinvestimento nas estratégias de prevenção e nos serviços de saúde mental.

É urgente contrariar estas tendências e apostar na sensibilização e desenvolvimento de competências de literacia em saúde mental e apostar em campanhas de prevenção do suicídio. 

Mês da Prevenção do Suicídio

Em setembro, todos temos uma palavra a dizer.

Programa Nacional para a Saúde Mental

Não há saúde sem saúde mental.